quarta-feira, 21 de Maio de 2008

Energias renováveis - porquê?

A exploração intensiva de recursos energéticos limitados (como os carvões minerais, o petróleo e o gás natural) tem levado os cientistas a procurar formas de energia que, ao contrário daquelas, não se esgotem.

A energia renovável é aquela que é obtida de fontes naturais capazes de se regenerar e que são, portanto, virtualmente inesgotáveis, ao contrário dos recursos não renováveis.

As energias renováveis são encaradas como decisivas no combate ao efeito de estufa e na redução da dependência de fontes energéticas externas. No entanto, os interesses financeiros de alguns grupos económicos, a falta de incentivos para Investigação e Desenvolvimento e a inexistência de tecnologias baratas que permitam a sua utilização em grande escala levam a que a sua importância no panorama energético internacional seja ainda reduzida.

Actualmente, 50% das necessidades energéticas da UE são supridas por produtos importados, maioritariamente do Médio Oriente e da Rússia. Esta fraqueza da UE tem tido consequências económico-financeiras evidentes, por exemplo, aquando do forte aumento dos preços do petróleo, em finais do ano 2000. Em Portugal, os números não são muito diferentes, com o nosso País muito dependente do exterior para o fornecimento de energia. As importações líquidas de energia têm vindo a aumentar e o consumidor português gasta cada vez mais energia.

Assim, dada a inexistência de fontes petrolíferas nacionais ou europeias em larga escala, a dependência energética externa, a forte poluição atmosférica provocada pelo uso massivo de combustíveis petrolíferos e, também, os compromissos assumidos no âmbito do Protocolo de Quioto de diminuição da libertação de gases com efeito de estufa, uma das soluções para o problema passa, inevitavelmente, pelas energias renováveis. Estas têm a vantagem de serem inesgotáveis e pouco agressivas para o meio ambiente.

As energias renováveis também favorecem o desenvolvimento económico local, pois permitem explorar os recursos locais e geram empregos perto dos locais de consumo.




Hoje em dia, o Homem, mais do que nunca, consome em quase todas as suas actividades enormes quantidades de energia. Desde a Revolução Industrial e o consequente aumento demográfico, que as carências energéticas da humanidade têm vindo a aumentar drasticamente. No entanto, o empenho do Homem em transformar formas de energia natural, como o vento ou a água, em trabalho, remonta a épocas passadas.
Actualmente, as necessidades energéticas da humanidade são fundamentalmente satisfeitas a partir dos combustíveis fósseis como o petróleo. Em regra, esses recursos são transformados por via da combustão noutras formas de energia, como a eléctrica. O problema destes recursos é que da sua combustão resultam não só produtos tóxicos e poluentes, como as suas disponibilidades são muito limitadas, estando previsto para breve o seu esgotamento.
A “crise energética” reflecte-se já no nosso dia-a-dia. É necessário investir nas energias renováveis. Afinal, até os nossos antepassados souberam aproveitar a energia do vento ou da água para mover as pás dos moinhos.

Com a tecnologia e os conhecimentos de que dispomos actualmente, podemos não só aproveitar estes recursos com maior eficiência, como podemos ainda aproveitar outros, como a energia solar ou das ondas do mar.


Sabias que...
Com a produção de electricidade de origem renovável se evitou a emissão de 9,3 milhões de toneladas de dióxido de carbono para a atmosfera?

3 comentários:

katia T disse...

Gostei da ideia da rubrica do "minuto renovável" :D

está muito fixe!

Erick disse...

De onde vcs tiraram esse ultimo texto???

Anónimo disse...

Legal